Home/Vacinas/Vacina Meningocócica B

Vacina Meningocócica B

Agendar agora Ver preços

O que previne

Meningites e infecções generalizadas (doenças meningocócicas) causadas pela bactéria meningococo do tipo B.

A meningite B trata-se de uma doença que atinge as membranas do cérebro e da medula espinhal através de um processo inflamatório, neste caso, causado pelo meningococo do tipo B.
O diagnóstico acontece por meio da análise do líquor, o qual se concentra ao redor da medula e protege o sistema nervoso. Por isso, com sua análise é possível descobrir diversas infecciosas, parasitárias, tumorais e degenerativas.

Neste caso, a doença pode ser causada pela bactéria Neisseria meningitidis, também chamada de meningococo do tipo B. Além dela, outros agentes infecciosos ou não, vírus e fungos podem propiciar o aparecimento da meningite B Entre muitos sintomas de meningite estão a febre alta repentina, dor de cabeça excessiva e contínua, vômitos, náuseas, rigidez na nuca e manchas vermelhas na pele (petéquias). Os sintomas tratam-se de um indício que algo não está bem, logo, a conduta de marcar vacina online, antes da manifestação desses sinais, é altamente recomendável.

Agendar

Trata-se de vacina inativada, portanto, não causa infecção.

É composta por quatro componentes, três proteínas subcapsulares e a membrana externa do meningococo B, hidróxido de alumínio, cloreto de sódio, histidina, sacarose e água para injeção. Podem existir traços de canamicina, antibiótico usado no processo de cultivo da bactéria vacinal, para evitar contaminação.

  • Em crianças menores de 2 anos, febre alta com duração de 24 a 28 horas pode ocorrer em mais de 10% dos vacinados. Quando a vacina é aplicada junto com a tríplice bacteriana acelular, pneumocócica conjugada, Haemophilus influenzae tipo b, poliomielite e hepatite B, esse percentual aumenta para 69% a 79%. Por isso é preferível não aplicá-las no mesmo dia.
  • Em crianças até 10 anos, em mais de 10% dos vacinados acontecem: perda de apetite; sonolência; choro persistente; irritabilidade; diarreia; vômitos; erupções na pele; sensibilidade no local da aplicação e ao movimentar o membro onde foi aplicada a vacina; reações locais (dor, calor, vermelhidão, inchaço). Em 0,01% a 0,1% ocorrem urticária e outras reações alérgicas. Até o momento não foi observada anafilaxia.
  • Em mais de 10% dos vacinados com mais de 11 anos ocorre cefaleia; náuseas; dor nos músculos e articulações; mal-estar e reações locais, como inchaço, endurecimento, vermelhidão e dor. A dor pode ser muito intensa, atrapalhando a realização das atividades cotidianas. Não é conhecido o risco para anafilaxia, e reações alérgicas graves não foram verificadas durante os estudos com a vacina.

Intramuscular.

Quem precisa vacinar?

Seguindo a nova recomendação do fabricante (GSK): (fonte: GSK. Em: br-vacinas-bula-bexsero.pdf. Data: 03 de abril de 2019.)

Crianças de 3 a 12 meses de idade

2 doses com intervalo de 2 meses, preferencialmente aos 3 e 5 meses de idade. Mais 1 reforço entre 12 a 15 meses. Importante ter no mínimo 6 meses de intervalo entre a segunda dose e o reforço.

Crianças que iniciarem o esquema entre 12 a 23 meses

2 doses com intervalo de 2 meses + 1 reforço com intervalo de 12 a 23 meses.

Pessoas entre 2 e 50 anos de idade

Somente 2 doses com intervalo minimo de 1 mês.

Atenção!

Em caso de febre igual ou superior a 37.8°C nas últimas 48h, a vacinação deverá ser adiada. Em caso de dúvidas entre em contato conosco.

Nossos fornecedores de vacinas

Logo de fornecedor 1
 logo de fornecedor 2
Logo de fornecedor 3
Logo de fornecedor 4

Parceiros

Logo Lamina
 logo Lavoisier
Logo Delboni Auriemo

Baixe nosso app

Imagem do celular android com app Beep Saúde

No celular Android

Imagem do celular iphone com app Beep Saúde

No celular iPhone

Quer ficar por dentro das novidades da Beep Saúde? Assine nossa newsletter.

Tabela de preços